Notícias

2º Curso de Autodefesa para Mulheres!

autodefesaVenha participar do 2º Curso de Autodefesa para Mulheres!

"Em parceria com o CEPEUSP (Centro de Práticas Esportivas da Universidade de São Paulo), o Escritório USP Mulheres e o professor Andrei Delgado, o 2º. Curso de Autodefesa para Mulheres será promovido entre os dias 22 de agosto e 30 de novembro de 2017, às terças e quintas-feiras, das 11h às 12h, no CEPEUSP.

Voltado exclusivamente para as mulheres da Universidade de São Paulo (alunas, docentes e funcionárias) independentemente de sua condição física e idade, o curso tem como objetivo o desenvolvimento da confiança, autoestima e controle emocional, proporcionando maior segurança na tomada de decisão em situações de risco.

As aulas consistirão na apresentação e prática de movimentos técnicos de autodefesa, além de debates e discussões sobre os tipos de agressão e ameaça aos quais as mulheres estão mais expostas em seu dia a dia.

Leia mais: 2º...

É possível monitorar todas as árvores de uma cidade?

jmcmkanabgnbmbeeÉ possível monitorar todas as árvores de uma cidade?

"Pesquisadores falam da importância das áreas arborizadas em metrópoles como São Paulo e das novas estratégias para monitorá-las, como o software Arbio."

As árvores são avaliadas a partir de parâmetros físicos, biológicos e geográficos. Além de analisar o risco de queda, é possível, inclusive, indicar se uma espécie pode ser plantada em determinado lugar. Ao final, são apresentadas opções sobre o que fazer com a árvore e uma data para realizar uma nova vistoria é agendada.

Assista a íntegra da reportagem, com a participação do Prof. Marcos Silveira Buckeridge e do pós-doutorando Giuliano Locosselli, ambos do Departamento de Botânica do IB/USP.

Mais perto do embrião humano transgênico

humantransgenicoArtigo: Mais perto do embrião humano transgênico

"Sim, demos um grande passo na direção do uso da edição de genoma em pacientes com doenças genéticas. Se esses resultados forem comprovados por outros grupos e a técnica funcionar tão bem para a correção de outros genes, teremos sim a possibilidade de erradicar doenças genéticas de quem puder pagar pelo procedimento — que envolverá fertilização in vitro com correção da mutação genética, e sequenciamento do genoma dos embriões para se certificar de quais deles foram de fato corrigidos. Esses serão transferidos para o útero da mãe, e se tudo der certo, nascerão bebês livres da mutação causadora de doença nas gerações prévias.

Pois então, está mais do que na hora de conclamarmos legistas, psicólogos, sociólogos e a população em geral para discutir as vantagens e os riscos de usar a tecnologia de edição do genoma em seres humanos. Para evitar doenças como câncer e Alzheimer, ou para pesquisa? Sim. E para que o bebê tenha olhos azuis, seja mais inteligente ou mais alto? Em que situações permitiremos sua aplicação?"

Leia mais:Mais...