Prêmio Oswaldo Frota Pessoa
Prêmio Oswaldo Frota-Pessoa de Incentivo à Pesquisa
Laboratório de Biologia Celular
Clique na imagem e saiba mais.
Laboratório de Antropologia Biológica
Clique na imagem para saber mais...
Inativação do cromossomo X estruturalmente normal (Xi)
Genética e Biologia Evolutiva
Nhunguara – remanescente de quilombos
Genética e Biologia Evolutiva
Análise
Genética e Biologia Evolutiva


frente depto botanica

O Departamento de Genética e Biologia Evolutiva tem como missão proporcionar educação, ensino, pesquisa e transferência de conhecimento nas áreas de Biologia Celular e Molecular, Genética e Evolução.

A história do Departamento de Genética e Biologia Evolutiva (antigo Departamento de Biologia) inicia-se com a criação da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras junto a implantação da Universidade de São Paulo, na década de 1930. Dedicando-se a pesquisas voltadas para análises cito-histológicas de vários grupos animais, teve despertada na década de 1940, a atenção de seus docentes para a pesquisa em genética animal utilizando, de início, o estudo de espécies de Drosophila. Através desses estudos, o Departamento atingiu prestígio internacional e foi, sem dúvida, o centro de origem e de diversificação dos estudos sobre a genética animal no Brasil. Nas décadas seguinte, além da continuação e diversificação dos estudos com as drosófilas, outras espécies de dípteros foram analisadas, destacando-se os sciarídeos e as moscas-das-frutas pragas da agricultura. Com base nos estudos sobre os cromossomos politênicos dos sciarídeos, na década de 1950, foi descrito, primeira vez na Biologia, o fenômeno da amplificação gênica. Desdobramentos desses estudos com os cromossomos politênicos, permitiram a descrição de infecções que afetam a replicação dos cromossomos, do DNA de tripla hélice e da determinação do sexo. As análises com as moscas-das-frutas, estabeleceram padrões metodológicos para o estudo de complexos de espécies crípticas e a viabilização da exportação de frutos produzidos no Brasil, tornando-se, assim, referência internacional.

A pesquisa nas áreas de Genética Humana e Citogenética de Vertebrados iniciou-se em 1960 e diversas contribuições internacionais têm sido realizadas, tais como identificação de novos genes associados a doenças neuromusculares, deficiência cognitiva e transtornos neuro-comportamentais, bem como a caracterização de cariótipo de novas espécies. Dentre as diversas pesquisas com abordagens moleculares e fenotípicas baseadas em diversos organismos, desde leveduras a humanos, a Evolução é o tema subjacente nas linhas de pesquisa do Departamento. Os estudos com células-tronco foram recentemente incorporados para investigar mecanismos relacionados a processos de diferenciação celular, doenças genéticas humanas e seu uso potencial em Medicina Regenerativa.

A produção anual do Departamento tem se mantido em torno de 100 publicações em periódicos indexados. Desde de a década de 1960, são oferecidos aconselhamento genético e testes genéticos para famílias provenientes de todas as regiões do pais. Além de organizar e produzir conjuntos educacionais e livros textos, atuar na formação de professores, oferecer amostras de linhagens mutantes de Drosophila melanogaster e orientação didática para a sua utilização em aulas práticas de Genética básica, o Departamento também é responsável pela curadoria de diversas coleções científicas que incluem vestígios de civilizações humanas remotas da América encontradas em sítios arqueológicos, amostras de DNA humano e de outros animais, tecidos de vertebrados, entre outros itens. O Departamento ainda mantém um Centro de Memória com rico acervo material (objetos, equipamentos, documentos).

Os graduados de nosso curso prosseguem carreira em diversos segmentos, incluindo ensino, pesquisa em instituições públicas e privadas, e serviços de extensão à comunidade.

Para maiores informações sobre a história da Genética no Brasil e a contribuição do nosso Departamento, sugerimos o acesso ao conteúdo no Youtube.