Arco zigomático.São ossos da face que envolve a maxila, o temporal, o frontal e o esfenoide.

Australopithecus. Composto por cinco espécies, esse gênero tornou- se muito importante no estudo da evolução humana, uma vez que se acredita que tenha sido uma destas espécies que ao evoluir tenha dado origem ao gênero Homo, ao qual a nossa espécie homo sapiens pertence. As espécies de australopithecus são: Australopithecus anamensis; Australopithecus afarensis; Australopithecus garhi; Australopithecus africanus e Australopithecus sediba. Todas as espécies viveram durante o Plio-Pleistoceno.

Australopitecíneos. Esta é uma categoria utilizada para agrupar espécies de três gêneros distintos de hominínios que viveram durante o Plio-Pleistoceno: Australopithecus, Paranthropus e Kenyanthropus.

Forame magnum. Abertura do osso occipital no centro da fossa posterior do neurocrânio. Liga o crânio ao canal vertebral.

Forragear. Comportamento ecológico, que consiste na exploração de um ambiente em busca de recursos alimentares com valores nutricionais favoráveis. Esse termo pode ser utilizado como sinônimo para se referir à caça- coleta.

 Falanges. Ossos pequenos presentes nas mãos e nos pés, fazendo parte das articulações. São classificadas em: distais e mediais.


Homo. Fazem parte desse gênero espécies como o Homo erectus, Homo neanderthalensis, o Homo heidelbergensise e a nossa espécie, Homo sapiens. São características desse gênero, a produção de ferramentas e no caso do Homo sapiens, a produção de pensamento simbólico.

Hominini. Na classificação taxonômica, é uma tribo pertencente à família hominidae que inclui humanos e seus ancestrais bípedes.

Kenyanthropus platyops. Há uma única espécie conhecida desse gênero, cujos fósseis foram encontrados no Quênia e datados por volta de 3.5 milhões de anos. A capacidade craniana de 500cm3.

Metatarsos. São ossos dos pés que se articulam com o tarso, osso da região do calcanhar. 

Monos. Correspondente ao termo “Apes” em inglês, designa grandes macacos antropoides classificados como pequenos antropoides (por exemplo, Gibão) e os grandes monos (chimpanzés, gorilas e orangotangos).


Ortognatismo. Ossos da face retos, encaixados de baixo da calota craniana.

Paranthropus. Esse é um gênero que inclui três espécies diferentes, que tem em comum uma morfologia robusta e crânio com crista sagital pronunciada:  Paranthropus aethiopicus; Paranthropus boisei e Panthropus robustus.

Pré- australopitecíneos. Esta é uma categoria que não constitui de fato um único gênero. Configura, antes, um grupo de diferentes espécies de primatas, do final do Miocêno e início do Plioceno (entre 7- 4 milhões de anos), que possuíam postura bípede, uma das características importantes na linha da evolução humana. Estão inclusas nessa categoria três gêneros e quatro espécies distintas, são elas: Sahelanthropus tchadensis; Orrorin tugenensis; Ardipithecus Ramidus e Ardipithecus Kadabba, sendo estas duas últimas espécies pertencentes ao mesmo gênero. 

Processos mastoides. É uma projeção arredondada do osso temporal, servindo como ponto de fixação dos músculos do pescoço.

Prognatismo. Projeção horizontal dos ossos faciais, para frente, em relação à calota craniana.